Esta é uma reunião do Fórum da Cidade, uma espécie de audiência pública, que no momento discute o problema da habitação em Berlim.

Nos últimos 5 anos, de 2011 até hoje, a população de Berlim, que no momento é de aproximadamente 3550.000, cresceu em 220.000 pessoas e espera-se, até 2020, mais 145.000. Além deste prognóstico é preciso somar ainda os refugiados que provavelmente virão.

No centro da discussão estavam algumas questões como: „Que forma dar ao vivenciar e ao morar na crescente em Berlim? O que significa a nova terceira fundação de Berlim? O que significa o crescimento da cidade e o construir rápido para a vida nos bairros? Qual arquitetura, qual urbanismo, quais os conceitos socioespaciais são necessários para conseguir qualidade de vida e vizinhanças sustentáveis que possam colaborar com a integração das novas e dos novos berlinenses? Como e onde vão ser organizados novos bairros?

Porém a crescente demanda por habitação, e em especial a habitação de cunho social, que se tornou o problema mais relevante para Berlim, foi o centro das discussões.

Se por um lado o novo contingente tem aumentado esta demanda, por outro traz junto o dinamismo e arrecadação para a cidade.

Muito se constrói por aqui, mas muito se especula também. Grande parte deste novos imóveis, ou dos antigos com novos donos, são deixados para alugar de vez em quando ou simplesmente para investir dinheiro e ficam fechados.

O desafio para a administração é a construção de moradias sociais, tradicionais na vida dos alemães. Este aumento populacional aumentou a arrecadação, portanto tem-se dinheiro para estas construções, mas depara-se com a escassez de áreas públicas intraurbanas para este uso. O secretário do Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente falou também sobre a falta de funcionários para a aprovação dos projetos e para as permissões de obras, entre outros.

Encontrar um lugar para morar em Berlim hoje é uma grande proeza.

Deixe um comentário

*

*